Super FOG vs. Splatoon 2 + Octo Expansion

Introdução: Splatoon 2 é o retorno da nova franquia de sucesso da equipe jovem da EAD, agora no novo Nintendo Switch. Diante do grande sucesso do Splatoon original no Wii U, uma edição para o próximo console era de certa forma inevitável, especialmente com o Wii U definhando e o suporte àquele jogo descontinuado depois de 1,5 ano distrubuindo conteúdo para manter o jogo longevo por mais tempo. Então, somos apresentados à uma nova geração de Splatoon no Switch, mas só saberíamos o quão evoluido o jogo é depois do lançamento.

O jogo em si: As bases de Splatoon permanecem as mesmas, o jogo é ambientado em um mundo habitado por lulas e outros seres marinhos evoluídos em forma humana conhecidos como Inklings, o gênero do jogo segue sendo de tiro com online PvP, o objetivo do modo principal Turf War continua sendo cobrir a maior área possível do mapa com a cor de tinta da sua equipe usando atiradores de tinta dos mais variados formatos e funções diferentes tendo como novidade as novas classes Dualies e Brellas. A trilha sonora continua a usar música agitada e jovial e toda a estética faz o jogo parecer ser perfeito pra se jogar no verão. Mas é aqui onde as semelhanças mais importantes terminam!

Novidades Frescas: Carregar um 2 no título implica em um monte de consequências, e apesar de manter o core intocado o jogo é recheado de novidades que praticamente o modelam sob medida para o Nintendo Switch. Sai o raso multiplayer local de estourar balões e entra o The Shoal, o modo LAN do jogo que permite batalhas locais em todos os modos disponíveis, ou seja, internet não é mais uma limitação para você resolver na tinta as coisas com os seus amigos. Não à toa, é um recurso que a Nintendo vem dando destaque em eventos como o Splatoon 2 World Championship e a promoção do jogo como eSport, coisa inviável logisticamente com o primeiro jogo por causa do setup “espaçoso” do Wii U.

Por fora da importantíssima adição de um modo LAN, o jogo também conta com uma lista de mapas novos e mais alguns que retornam do primeiro jogo, disponíveis para jogo no Regular Battle e no revisado Ranked Battle. Após chegar ao nível 10 nas Turf Wars, você tem acesso aos modos competitivos, voltam os Splat Zones, Tower Control e Rainmaker do antecessor junto do novo Clam Blitz, nesses modos comunicação é a chave, e pra quem joga exclusivamente online a ausência de um chat de voz embutido no jogo ou no sistema do console pode complicar bastante e a solução oferecida pela Nintendo através do seu aplicativo de celular está há milhas de ser conveniente. Em último caso faça como eu, use o Discord.

Salmon Run: Pensado em explorar as propriedadea únicas do single player, esse modo cooperativo foi criado, onde o objetivo é eliminar ondas de inimigos chamados Salmonids e coletar golden eggs, a partida acaba em derrota se os quatro jogadores forem eliminados ou se a cota de golden eggs não for atingida no tempo limite, colete todos os golden eggs exigidos e sobreviva às três ondas de inimigos para clamar vitória. Através desse modo é possível ganhar dinheiro interno do jogo entre outros brindes. O problema que eu tive com esse modo é que apesar de ser divertido derrotar hordas de inimigos essa é a única coisa que você faz, não existe variação de objetivos como nos modos tradicionais.

Single Player:

Assim como o primeiro, temos um modo história onde você, como o Agente 4, se aventura no Octo Canyon para encontrar o The Great Zapfish, a principal novidade está por conta de não ficarmos restritos somente à Splattershot dessa vez, ao longo dos 27 estágios usaremos armas diferentes sendo uma de cada classe, fazendo do modo história a primeira parada para qualquer jogador novato, pois terá a chance de testar todas as classes de armas antes de se aventurar no multiplayer.

Além da aventura principal, há o elemento de coleção na forma das Sunken Scrolls, que contam um pouco da lore do jogo, e também o Sardinium, utilizado para fazer upgrade nas armas.

Até os primeiros 11 meses do jogo, este modo era a melhor opção pra se jogar sozinho caso vc não se sentisse no humor pro online, no entanto eis que em junho foi lançado o…

Octo Expansion:

O primeiro DLC pago da franquia, anunciado em abril e lançado dois meses depois adiciona um segundo modo história com nada mais nada menos que 80 estágios onde você joga com um Octoling, conhecido por serem os antagonistas do primeiro modo história, porém aqui polvos e lulas se unem para ajudar este octoling, junto com o capitão Cuttlefish e o Agente 3 do primeiro jogo, a escaparem de uma fortaleza subterrânea interligada por várias linhas de metrô, o objetivo principal é encontrar quatro itens chamados Thangs, que, segundo um “telefone falante” são a chave para a “terra prometida”, para isso você deve se aventurar pelas missões espalhadas pelas estações da Deepsea Metro.

Primeiramente eu queria começar elogiando o progresso não linear desta aventura, após completar a primeira missão, você é livre para seguir na linha para a direita ou para a esquerda e com isso desbloqueando mais linhas e obtendo Mem Cakes, que podem ser trocadas por recompensas para uso no multiplayer. Em segundo lugar, um alerta, se o modo single original servia para te introduzir ao jogo, este aqui foi feito para quem dominou o jogo inteiro, os estágios deste modo são bem mais dificeis, não te dão a liberdade de escolha de armas e ainda podem atirar condições especiais para a sua compleção. Aos que quiserem completar todos os 80 estágios, preparem seus instintos de perseverança!

O que mais está de volta e o que faltou? Splatoon 2, assim como o antecessor, tem suporte a amiibos, que servem desde desbloquear músicas como também habilitar missões especiais que desbloqueiam equipamentos exclusivos para o multiplayer. Também retornam as sazonais Splatfests, apresentadas pela nova dupla de idols Off the Hook que substituem as Squid Sisters do jogo anterior. O que faltou? Aparentemente o jogo está bem completo, mas o modo LAN podia ser explorado para mais coisas além de jogar os modos online em ambientr local, uma opção de co-op no single player seria maravilhosa.

Veredito: Splatoon 2 fez o que o Splatoon anterior não conseguiu, levar a série aos seus limites e expandí-lo mais ainda. Com um suporte de novo conteúdo gratuito até o fim do ano e um apoio incomum da Nintendo ao jogo como eSport, a longevidade deste jogo pode passar de décadas, e eu definitivamente não estou exagerando!

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s