Respeitem o Terry Bogard em Smash Bros.

Se você não conhece essa verdadeira lenda dos jogos de luta, se você perdeu mais tempo ovacionando uma insignificante roupa de Mii Gunner do que um verdadeiro novo lutador, se você mal sabe que empresa é a SNK ou os jogos que ela já produziu, se você sabe o que uma cambada de fanboys está aprontando no Reddit e no 4chan neste momento, este texto é sob medida para você!E antes de começar o rage, porque VAI ter rage aqui, esteja avisado, eu preciso contar um pouco da minha história com jogos de luta tradicionais pra vocês, que imagino que fiquei devendo quando eu escrevi minha maratona Smash Bros. há um tempo atrás.

Entre os meus 6 e 9 anos de idade eu peguei um dos consoles mais populares da época, o Super Nintendo, como eu era uma criança bobinha na época eu nunca entendi por que meu irmão gostava tanto daqueles jogos de lutinha onde tinha que se apertar botões toda hora. Nós começamos com o eterno clássico Street Fighter II, é impossível que qualquer ser humano que se intitule gamer não tenha jogado este jogo (até porque a Capcom faz questão de relançá-lo em qualquer placa eletrônica capaz de rodar jogos), eu gostava de pegar os personagens grandalhões como Zangief e E. Honda achando estar com vantagem, porém nunca consegui ser melhor que meu irmão nesse jogo. Além deste conhecemos mais jogos do tipo como Mortal Kombat e passamos por um tal Fatal Fury Special, que tinha aquele personagem maneiraço de boné, que se o player 2 escolhia fazia a roupa dele ficar azul, como o jeitão daquele boneco era f***, quando meu irmão jogava isso com os nossos amigos da rua era quase briga pra ver quem pegava aquele cara, aquele “tal” Terry Bogard.
Poucos anos depois eu descobri a nova paixão do meu irmão, um fliperama no bar da rua de baixo da minha casa rodando um jogo frenético e cheio de efeitos, era o novíssimo The King of Fighters, tinha tantos personagens estilosos e os golpes pareciam tão explosivos, quando eu via meu irmão jogando isso eu não saía do lado dele. Anos depois, um primo nosso nos empresta um PlayStation, a nova sensação dos brasileiros entre 1998 e 2003, e junto o meu irmão emprestou com um colega de escola alguns discos com KOF ’97 no meio deles, eu lembro do macete que meu irmão ensinou pra fazer os especiais saírem mais fácil e assim eu conseguia me divertir mais com o jogo sem ter que esmerilhar o controle, mesmo assim ele ainda me dava um pau 😛
Depois veio o ano de 2001, meu irmão comprou um Nintendo 64 (meio tarde, mas enfim) e em 2002 eu aluguei Super Smash Bros., e o resto é história que eu já contei antes.

Em resumo, as produções da SNK no ramo da luta andaram muito junto comigo com o tempo, eu inclusive comprei The King of Fighters XIV como meu primeiro jogo de PS4 só pela nostalgia, eu ainda podia contar com Art of Fighting 2 do SNES e Metal Slug do PlayStation que eu também joguei naquele tempo, então eu podia muito bem classificar a SNK como uma das minhas Top 3 empresas de games favoritas junto com Nintendo e Sega. E desde que eu comecei a brincar no KOF XIV eu comecei a pensar no quão louco seria um personagem da SNK no Smash Bros., o quão louco seria ter KOF representado de alguma forma na minha franquia de games favorita da atualidade. Imaginem como eu fiquei quando os rumores de um personagem da SNK no Smash brotaram! Eu imaginei escolhas mais seguras como Kyo Kusanagi ou o próprio Terry, no fundo no fundo eu queria a King do Art of Fighting ou o Shun ‘ei que é o protagonista de KOF XIV. Quando veio a revelação do Terry minha reação e meus pensamentos foram iguais aos do Maximillian Dood:

Agora, por que eu falei que iria dar rage neste artigo?

Bom…

https://srminerva.blogspot.com/2019/09/joins-battle_10.html

É… parece que alguns fãs da Nintendo não souberam reconhecer a importância desse anúncio, para eles foi mais importante ovacionar a roupa de Mii Gunner do Sans cuja única coisa que valia a pena era a música que vinha de brinde. É pra ficar p***! É pra ficar revoltado! É um dos personagens mais icônicos dos jogos de luta e uma cambada de newfags da geração Z que nunca viram uma cabine de arcade na vida tentando alegar que Terry Bogard era um personagem desconhecido e irrelevante para os dias atuais, o que dizer de Banjo & Kazooie então, que foi incluído pelos pedidos de fãs nostálgicos do Nintendo 64? O que dizer de Mr. Game & Watch, Ice Climbers, Duck Hunt e ROB que estão lá representando a velha guarda da Nintendo? Enquanto em troca esses mesmos newfags (pra não xingar de coisa pior) acham uma boa idéia ter personagens completamente aleatórios e desnecessários como Steve do Minecraft, que assim como o Sans, estaria de ótimo tamanho uma roupa de Mii Fighter, Waluigi, que já é um assist trophy e também meu personagem da Nintendo mais odiado de todos, Geno, talvez Geno seja um pedido legítimo lá no fundo, mas entraria na mesma classe do Banjo que seria nostalgia por um jogo perdido do SNES. Mas é realmente necessário agir como um babaca diante da inclusão de Terry Bogard? É realmente necessário chorar e fazer pirraça na internet por que “a Nintendo não incluiu o personagem que você assumia que eram obrigados a incluir?”
Porque eu posso ver na mentalidade de cada um desses newfags, eles não querem certos personagens por quererem, por serem fãs, eles tratam certos personagens como os já citados Waluigi e Steve como assunções de que são obrigatórios, e isso é de enraivecer a alma! Isso me deixa furioso em muito níveis! A graça de receber um novo personagem em Smash é o burburinho, a expectativa, a euforia, quando alguém opera com uma mentalidade robótica dessas é desanimador.
A fanbase de Smash Bros. é um caos! As mesmas pessoas que, por exemplo, reclamam do excesso de personagens de Fire Emblem (atualmente 7) são as mesmas que querem que encham o jogo de personagens de Mario (que já tem 9 atualmente, 16 se você contar os alts de koopalings para o Bowser Jr., 19 se você contar Donkey, Diddy e K. Rool, 21 se você contar Yoshi e Wario). Cadê o amor pelas novas IPs da Nintendo? o Switch foi o berço de Arms e Astral Chain, o primeiro newcomer do Ultimate foi o Inkling de Splatoon, as IPs Dillon’s Rolling Western e Codename STEAM nascidas no 3DS só estão representadas como assist trophy e spirits respectivamente. É ISSO que eu quero de novo para Smash Bros., não um mar de bonecos aleatórios place holders de multiplayers do Mario.

Por último eu vou deixar pra vocês o pensamento de um fã de KOF em relação ao que ele pensa sobre Terry Bogard no Smash. Se mesmo assim você acha que Terry é algum personagem “pequeno”, eu juro que tentei.

===============================================================

Gostou desse artigo? Ajude o blog a crescer conferindo outros artigos ou contratando meus serviços de design gráfico, saiba mais clicando aqui.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s