Como está ser um youtuber?

Esse texto é mais uma análise de um paradoxo muito curioso dos tempos de hoje, algo que eu senti na pele com o recente anúncio do meu canal no YouTube.

Antigamente, havia um preconceito enorme contra youtubers, eu mesmo nutri esse preconceito por bastante tempo, tenho até mesmo um artigo criticando o Leon do Cadê a Chave e o BRKsEDU por defenderem o trabalho deles. Esse preconceito era visto com mais frequência entre os mais velhos, visto que youtubers há cerca de 7 anos atrás costumavam apelar para pré-adolescentes e figuras como o Felipe Neto aqui no Brasil e o PewDiePie no resto do mundo estavam em constante ascensão, e quando esses adultos questionavam esses jovens que, inspirados nessas mesmas figuras, queriam ser youtubers, eram repreendidos, às vezes destratados chamados de vagabundos ou coisas tão piores quanto. Hoje em dia, quando se fala em ser youtuber, esses mesmos adultos acham uma boa idéia, elogiam e até incentivam! Na minha família mesmo o que não me faltou foram elogios, desejos positivos e muito apoio até do meu pai, minha teoria pessoal é a de que o YouTube como mídia cresceu muito em um curtíssimo espaço de tempo, é uma ferramenta que deu voz a milhões de pessoas e rende audiências bilionárias para o site, o que significa a adesão de mais anunciantes, que é de onde o youtuber ganha dinheiro. E de fato, a audiência do YT tanto quanto a geração de receita por visibilidade são tão grandes que até celebridades da televisão trocaram as grandes emissoras pelo YouTube, é o advento da chamada “nova mídia”.

Como eu bem disse no meu primeiro vídeo, minhas inspirações principais são o Felipe Neto como youtuber brasileiro, que embora ficou famoso com vídeos controversos no começo ele foi praticamente o padrinho do YT brasileiro, foi o primeiro brasileiro que viu potencial profissional no YT à ponto de se tornar um empresário especializado na área e o maior comunicador teen da atualidade. A segunda inspiração é relativamente mais humilde, é o americano SomeCallmeJohnny, com um canal especializado em reviews de jogos e que praticamente inspirou 95% da estrutura deste blog! O nome Super FOG vs. vem de sua série de reviews Johnny vs., assim como os textos “antes e agora”.

Mas como está sendo para mim ser um youtuber? Com apenas 2 vídeos eu apontei alguns problemas, primeiro é a minha timidez em falar com uma câmera, segundo é escutar a minha própria voz com um tom nasalado e minhas expressões engessadas, essas coisas só somem conforme o tempo e a prática. Outro grande problema é a minha infra-estrutura, eu uso a câmera do celular para filmar e depois de alguns tormentos com o editor KineMaster eu estou instalando algo no meu computador pra tornar meu trabalho um teco mais fácil, já tenho em mente comprar um tripé e uma luminária.

Quanto à questão da fama, não tenho nenhuma intenção de ficar famoso, o YouTube, assim como este blog, são as formas que eu encontrei de trabalhar com algo que eu gosto que são video games, e assim pretendo encarar enquanto me houver disposição.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s