Por que a Bayonetta é tão odiada em Smash Bros.?

O texto a seguir é sobre Smash Bros. competitivo, se isso não te interessa, ignore-o.

Eu não gosto muito de trazer intrigas da comunidade de Smash para o meu blog, mas esse é um assunto quente desde aquela transmissão memorável de dezembro.

A personagem Bayonetta, da série homônima de jogos de hack ‘n’ slash que eu já analisei aqui, está entre os personagens de Smash Bros. desde o seu lançamento na primeira semana de fevereiro, e desde então ela vem causando um rebuliço de proporções colossais na comunidade, especialmente na base competitiva. Continuar a ler

Anúncios

A Nintendo não quer matar o Wii U, a imprensa quer!

Recentemente, subiu à internet um rumor provido pelo jornal japonês Nikkei, de que a Nintendo iria interromper a fabricação do Wii U no fim de 2016. De todos os rumores profetizando a morte do Wii U, esse foi sem dúvida o mais impactante de todos, que felizmente foi rapidamente desmentido pela Nintendo logo quando o buzz em volta disso começou a crescer. Mas essa seria a primeira vez que a imprensa tenta matar o Wii U? Pra quem segue o jornalismo atual de games há um tempo é obvio que a resposta é não, o Wii U foi um console atentado desde antes mesmo de ser lançado, no final de 2012. Continuar a ler

Cloud Strife no Smash Bros. O damage control é livre!

Se você não assistiu ao Nintendo Direct na noite de novembro e só queria saber de Smash, esse trailer é a única coisa que te interessa. O time de Smash Bros. apenas quebrou a quarta barreira com a inclusão de ninguém menos que Cloud Strife, protagonista de Final Fantasy VII ao roster de Super Smash Bros. como um DLC. Essa adição transpôs uma barreira implicita por fãs sobre a inclusão de third-parties com relações fortes com a Nintendo, Cloud tem de longe uma relação fraquíssima, tão fraca quanto a do Snake, de fato, com aparições que se resumem à cameos dentro de jogos como Kingdom Hearts, Theatrythm e Bravely Default. Não somente isso, Cloud é o protagonista do primeiro Final Fantasy lançado fora da Nintendo desde Final Fantasy VI para SNES, o protagonista do Final Fantasy que estabeleceu as bases da série nas plataformas da Sony. Então de certa forma, as reações mistas são até esperadas. Continuar a ler

Um rápido pensamento sobre a E3 2015

Este é um post rápido dedicado a toda a acidez que permeia a internet depois da apresentação, digamos, questionável da Nintendo nessa E3. Vou tentar fazer um texto para reflexão, mesmo acreditando que posso falhar nesse objetivo.

Em 2013, a Microsoft teve uma exibição ruim, foi apedrejada e desprezada. Em 2014, foi a vez da Sony ter azar e fazer uma apresentação abaixo da média e pagar por isso. Agora foi a vez da Nintendo em um ano que muitos tratavam como o mais importante do Wii U e o castigo, como esperado, veio à cavalo. Continuar a ler

O fim da Nintendo no Brasil

Hoje, pelo período da tarde, veio a notícia de que a Gaming do Brasil não mais representará a Nintendo no país, resultando no fim das atividades da companhia de Kyoto no Brasil. De acordo com o diretor de marketing para a América Latina da NOA, Bill Van Zyll, a culpa é principalmente da altíssima carga tributára que incide sobre produtos relacionados à jogos no país (uma vez que eles são considerados “jogos de azar” na hora de aplicar os impostos). Continuar a ler